Quarta-feira, 9 de Janeiro de 2008

Há dias assim

Sinto-me deveras desolado derivado a acontecimentos de certa forma recentes.

 

Ainda outro dia, a minha avó dirigiu-se a mim e disse:

 

- Temos que conversar.

 

(ao que respondi)

 

- Que se passa?

 

- Á algo que tenho andado á muito tempo para te dizer, mas até hoje nunca tinha arranjando a coragem para o fazer…

 

- Avó, estás a deixar-me bastante preocupado.

 

- O que se passa, o que se passa é que… Eu…

 

- Diz logo avó, a tua hesitação está a deixar-me bastante intrigado e assustado também.

 

- Eu… Cosi as meias a outra a pessoa, pronto já disse.

 

- O QUÊ?

 

- Desculpa.

 

- Mas o que foi que eu fiz de mal?

 

- Nada meu filho anda, tu és um neto impecável, um querido, é só que…

 

- Só o quê?

 

- O teu pé não é grande o suficiente para me satisfazer.

 

- Não é o quê? Mas eu calço o 42, que é o tamanho normal.

 

- O problema não és tu, sou eu. O teu 42 satisfazia-me perfeitamente até certa altura, depois começou a tornar-se monótono, era sempre a mesma coisa, nunca variava, e para ser sincera não foi só o tamanho do pé…

 

- Não??? Então que foi mais?

 

- Tu não tens meias com raquetes. Eu sou uma idosa, tenho as minhas necessidades, e tu não tens os meios para as saciar. Como queres que em realize, se tu não tens nenhumas meias com raquetes para eu coser?

 

- Não posso crer. Os outros eu ainda compreendia que me colocassem de parte por eu não ter meias com raquetes. Não conheciam a minha história, não compreendiam o meu sofrimento, não compartilhavam a minha dor. Agora tu avó? Eu sempre pensei que estavas a li para me apoiar.

 

- Pois lamento, libelinha.

 

- Não me chames mais isso por favor.

 

- Ok tudo bem, compreendo.

 

- Então quem é ele?

 

- Lembraste do Teotónio da aldeia?

 

- Aquele que sofre de elefantíase?

 

- Sim.

 

- Não posso crer, tu gostas de algo assim? Não me admira que eu não te satisfizesse, a culpa não e de facto minha, é tua. És uma maníaca, uma tarada, uma depravada, que não olha a qualquer tipo de decência e senso comum para satisfazer as suas necessidades mais básicas.

 

- Bem me parecia que não ias compreender, sempre foste muito quadrado e preconceituoso, o que se passa, meu bota-de-elástico, é que coser as tuas meias era monótono, e quando coso as meias do Teotónio, redescubro um prazer pelo tricô que á muito julgava perdido.

 

- PÁRA! Não quero ouvir mais nada, vou embora adeus.

 

-Adeus.

 

-Cumprimentos ao avô.

 

- Serão entregues.

sinto-me: mal
música: True romance - She wants revenge

8 comentários:
De Rafeiro Perfumado a 10 de Janeiro de 2008 às 11:16
Libelinha? Algo me diz que vais-te arrepnder disto, ó pezinhos de bailarina!


De Blayer a 16 de Janeiro de 2008 às 00:35
É o mais provável peludo amigo


De Moyle a 10 de Janeiro de 2008 às 17:55
A culpa é única e exclusivamente tua. Não andasses sempre a cortar as unhas dos pés, pois se a senhora estivesse muito ocupada contigo nunca iria procurar fora o que não encontrava em casa. Não gostavas que te chamassem águia Vitória mas agora vais ter que gramar com o libelinha meia rota.


De Blayer a 16 de Janeiro de 2008 às 00:36
Pior só mesmo libelinha Vitória


De Jaime a 11 de Janeiro de 2008 às 22:14
Ó meu Deus, está lindo! Apanhas tão bem os estereótipos! :-)


De Blayer a 16 de Janeiro de 2008 às 00:36
Mais depresa apanho um estereótipo coxo que um mentiroso num automovel


De Gata Verde a 13 de Janeiro de 2008 às 14:47
Tu és um louco muito saudável...adorei!

Beijinhos


De Blayer a 16 de Janeiro de 2008 às 00:38
Obrigado, tu és obviamente uma pessoa bastante intelegente e culta e que adora realemente o que está bem produzido


Comentar post

.este tarado tem identidade (veja aqui qual)

.termos

 

.Setembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
25
26
27
28

29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.este palhaço dise isto (e não fui á muito tempo)

. Crítica "O Filme do Desas...

. Ricardo Blayer, um ser hu...

. Ricardo Blayer, um ser hu...

. Ricardo Blayer um ser hum...

. Mas... ainda há textos aq...

. Um video

. E há quem seja pago para ...

. Pois, poesia agora...

. To soon?

. Tartarugas gigantes e del...

.depois disto ainda quer ver mais? Não? E se eu oferecer um microondas

. Setembro 2013

. Outubro 2012

. Junho 2012

. Fevereiro 2012

. Abril 2011

. Novembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

.tags

. todas as tags

.eu recomendo isto, mas isto sou eu

.Enganos

Contador de visitas
SAPO Blogs

.subscrever feeds